Pesquisar

Notícias  »  Blogs  »  28/02/2019 às 13:45

Verão Seguro

"Água no umbigo, sinal de perigo"

Cuidado com as crianças na água!
Cuidado com as crianças na água!

Sabe-se que no Brasil, todos os dias, 17 pessoas morrem afogadas - sendo que três delas são crianças - , de acordo com o Ministério da Saúde. Essa é a maior causa de morte acidental entre crianças na faixa de um a quatro anos, sendo a piscina o local onde a maioria dos incidentes ocorre, ainda conforme o ministério.

 


> Como prevenir?

 

  • Um passo importante é a prevenção: crianças na água ou próximas a ela precisam ser supervisionadas o tempo todo, sem descanso - e bem de perto. O responsável deve sempre ficar a um braço de distância, mesmo na presença do guarda-vidas.
  • Mesmo nas piscinas infantis ou se a criança já sabe nadar, é preciso ficar atento. Na praia, identifique onde está a corrente de retorno "repuxo" e não deixe a criança brincar nesse local. Na dúvida, fale com o salva-vidas.
  • Brincadeiras de prender a respiração embaixo da água não são recomendadas; Deixar brinquedos dentro ou próximos à água pode servir de atrativo para as crianças, que sempre devem ter supervisão de um adulto.
  • Boias não são equipamentos de segurança e podem facilitar um afogamento; prefira o colete salva-vidas.

 

> Fique atento!

 

  • Outra recomendação para prevenir emergências é a atenção: é preciso definir claramente quem está vigiando a criança na água, sem distrações como, por exemplo, celulares ou bate-papo.
  • "Uma pessoa que está se afogando não consegue respirar, muito menos gritar. Se ela levantar o braço, afunda naquele momento. O olho leigo enxerga uma pessoa brincando na água", diz o especialista. "São inúmeros casos em que uma criança está morrendo e ninguém percebe o que está acontecendo", diz Szpilman.

 

> Como proceder?

 

Seja qual for o ambiente do afogamento, uma piscina, um rio ou uma represa, existem etapas para ajudar uma pessoa que está em apuros na água.

 

1º - Reconheça que uma pessoa está se afogando e precisa de ajuda.
Banhista não se desloca, tem uma forma errática de flutuar ou nadar e se mantém na posição vertical.

Ao contrário do que a maioria pensa, pessoas se afogando não acenam ou gritam por socorro, e parecem muitas vezes que estão apenas brincando na água.

 

2º - Assim que você reconheceu um afogado peça a alguém que chame por socorro ligando 193 ou 192.
Só depois de chamar por Socorro você deverá tentar ajudar sem se arriscar.

 

3º - Forneça qualquer material flutuante interrompendo o processo de afogamento.
Até 4m do afogado - Utilize varas, galhos ou cordas. Em piscinas, por exemplo, sempre existem as varas de alumino de peneiras e aspirações que podem ser usadas para ajudar as pessoas.

Distancias maiores de 4m - atire uma bóia, garrafa PET, pranchas, bola, tampas de isopor ou outro material que flutue.

 

4º - Remova o afogado da água somente se for seguro a você.

Tente sempre ajudar mantendo-se fora da água. Assim você não se torna um segundo afogado
Entre na água somente se tiver absoluta segurança de não correr risco de ser um segundo afogado.

 

 

Fonte:

https: //www.bbc.com/portuguese/brasil-44504539 - Afogamento é maior causa de mortes acidentais de crianças no Brasil; saiba como evitar.
http://www.sobrasa.org - Urgências por afogamento em piscinas o que fazer.

Nenhum comentário

Outras notícias do blog